Brazil and UK doing business

Desafios Culturais em Negócios Internacionais

Em minha trajetória profissional, vi em primeira mão a dificuldade de fazer negócios entre culturas. Eu vi isso muito antes de me tornar uma treinadora intercultural ou mesmo uma linguista. Minha experiência tem me mostrado que esses desafios surgem tanto da falta de conhecimento de outras culturas, o que leva a expectativas frustradas, quanto das características de nossas próprias culturas.
Quando interagimos com outras culturas, geralmente esperamos diferenças superficiais. Esperamos que as pessoas se vistam de maneira diferente, comam alimentos que podemos considerar incomuns e celebrem feriados que nos são estranhos. A verdade é que as diferenças culturais são muito mais profundas do que isso. Elas afetam nossos valores, como nos expressamos e quais comportamentos consideramos apropriados ou inadequados. A cultura não nega ou apaga a individualidade humana, mas ajuda a moldar quem somos e como vemos o mundo.
Nossas culturas permeiam todos os aspectos de nossas vidas, e isso inclui os negócios. Embora as empresas em todo o mundo operem com metas e indicadores de sucesso semelhantes, os locais de trabalho são mais do que resultados financeiros, lucros ou perdas. A forma como interagimos com nossos colegas, como chefes e gerentes se comunicam com seus funcionários e até mesmo como percebemos a gestão do tempo são fatores que impactam nossa vida profissional. E todos são afetados pela cultura.
É sempre importante ter em mente que a cultura nem sempre é restringida por fronteiras nacionais. Ela pode variar dentro delas, bem como continuar além delas. No Brasil, meu país de origem, as atitudes e culturas são muito diferentes dependendo da região ou do estado. Pessoas que vivem mais perto das fronteiras do Brasil podem ter mais em comum com os cidadãos dos países vizinhos do que com os brasileiros de outras regiões. A cultura gaúcha do sul do Brasil é compartilhada por argentinos e uruguaios, mas não por brasileiros da região norte, por exemplo.

Diferenças Culturais nos Negócios

As especificidades culturais podem assumir proporções enormes quando lidamos com pessoas de outras origens em um ambiente de negócios. Dependendo de onde viemos, podemos ter uma opinião diferente sobre um funcionário que para imediatamente de trabalhar quando seu turno termina. Ele está agindo corretamente ou é preguiçoso? Da mesma forma, um funcionário que demonstra ser mais amigável no escritório está agindo de forma inapropriada e não demonstra respeito o suficiente no local de trabalho? Ou o colega que não faz piadas (ou ri delas) é desagradável e não se esforça o suficiente para fazer parte da equipe? Seu colega é rude por dizer “não” diretamente? Ou ele estaria perdendo seu tempo e causando confusão se, em vez de apenas dizer “não”, tentasse encontrar maneiras indiretas de rejeitar algo?

Níveis de informalidade, estruturas hierárquicas e franqueza de comunicação podem realmente impactar como somos vistos por nossos colegas internacionais. Existem também outros fatores que certamente entrarão em jogo quando trabalhamos com equipes do exterior, como a forma como as mulheres são percebidas em seu ambiente de trabalho, quanta iniciativa os funcionários acham que podem tomar e até mesmo o quão pontuais podem ser. Quanto mais diferentes são as culturas, maiores são os desafios.

Adaptando-se às Diferenças Culturais em Ambientes de Negócios

Pela minha própria experiência, tanto como alguém que sempre trabalhou com equipes multiculturais quanto como treinadora intercultural, preparar sua equipe para trabalhar com colegas estrangeiros é uma iniciativa muito positiva, pois pode ajudar as equipes internacionais a cooperarem de forma mais produtiva. Existem dois benefícios principais nisso. O primeiro é que educar sua equipe sobre a cultura estrangeira de negócios que eles enfrentarão não apenas os preparará para os comportamentos que provavelmente encontrarão, mas também os ajudará a compreender melhor esses comportamentos. Isso evitará desconfortos desnecessários e os ajudará a adaptar seu próprio comportamento. A aparente frieza de seu colega não significa que ele está o desprezando, nem é sua simpatia um sinal de que ele não está levando seu trabalho a sério. Da mesma forma, se os funcionários souberem que uma determinada cultura considera algo ofensivo, eles provavelmente evitarão tal comportamento.

O treinamento intercultural também ajudará sua equipe a se preparar para as aparentes contradições culturais que seus colegas irão demonstrar. Os brasileiros, por exemplo, são falantes e expressivos. Desenvolvem rapidamente um senso de proximidade e informalidade com seus colegas, mas ao mesmo tempo usam uma linguagem de alto contexto, usando formas complexas de comunicação não-verbal e indireta, baseadas em naquela situação. Fornecer à sua equipe as ferramentas adequadas para entender seus colegas internacionais também os ajudará a entender quando um comportamento específico é esperado e quando é incomum, mesmo no contexto cultural da outra pessoa.

O segundo é que o treinamento ajuda a dissipar ideias de que certos comportamentos no local de trabalho são certos e outros, errados. Seus colegas internacionais não estão fazendo negócios da maneira errada, nem você ou sua equipe. As diferenças são apenas isto: diferenças. Todos nós temos opiniões e preferências, mas as diferenças são inevitáveis e uma equipe pronta para lidar com ambientes multiculturais está preparada para o sucesso.